quarta-feira, 9 de junho de 2010

A Estrada de Chico Buarque

Este mês falaremos um pouco de Chico Buarque.

De batismo, Francisco Buarque de Hollanda, nascido na cidade do Rio de Janeiro, em 19 de junho de 1944. Musicista, dramaturgo e escritor brasileiro, filho de um grande historiador, teve o seu interesse pela música aflorado ainda cedo, provavelmente influenciado pela convivência com intelectuais e artistas, como Vinícius de Moraes, Cartola e Paulo Vanzolini.

Buarque chegou a ingressar na faculdade de Arquitetura, mas a abandonou para dedicar-se à carreira artística. Sua primeira canção, “Sonhos de Um Carnaval”, já evidenciava uma astuciosa lapidação de versos.

Auto-exilou-se na Itália, em 1969, na época do regime militar, quando chegou a fazer espetáculos com Antonio Pecci Filho, mais conhecido como Toquinho. Ao voltar ao Brasil, continuou compondo canções que denunciavam aspectos sociais, econômicos e culturais, como, por exemplo, "Apesar De Você" e "Cálice".


As canções de Chico ficaram conhecidas por retratarem o ponto de vista feminino como se tivessem sido escritas por uma mulher. Essa característica se evidencia nas letras de "Futuros Amantes", "Todo Sentimento" e "Olhos Nos Olhos" (letra no fim do post).

Ele foi conquistando espaço no mercado da arte e hoje é um dos maiores compositores do Brasil, tendo passado por suas mãos obras que marcaram décadas, como os musicais “Calabar”, “Roda Viva”, “Gota d’Água” e “Ópera do Malandro”, este último se destacou pela bastante trabalhada trilha sonora e pelos diálogos incisivos, em grande parte produzidos por ele.
Chico Buarque também lançou alguns livros – “Estorvo”, “Benjamim”, “Budapeste” e “Leite Derramado”.

Abaixo, um vídeo da intérprete Maria Bethânia dando voz a uma das composições mais famosas de Chico, “Olhos Nos Olhos”. Logo depois, segue também a letra da canção.


Olhos Nos Olhos

Quando você me deixou, meu bem
Me disse pra ser feliz e passar bem
Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci
Mas depois, como era de costume, obedeci
Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer
Olhos nos olhos
Quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais
E que venho até remoçando
Me pego cantando, sem mais, nem por quê
Tantas águas rolaram
Quantos homens me amaram
Bem mais e melhor que você
Quando talvez precisar de mim
Cê sabe que a casa é sempre sua, venha sim
Olhos nos olhos
Quero ver o que você diz
Quero ver como suporta me ver tão feliz.


Daniela Sampaio, Erich Roddewig e Fernanda Atta

Um comentário:

  1. o parangole eh bem melhor q esse tal de chico

    ResponderExcluir